Matheus Santana vai fazer sua estreia em grandes competições nesta temporada. O nadador, que disputou no mês passado uma pequena competição na Suíça apenas para treinamento, defende pela primeira vez o time da SwimMac, da Carolina do Norte, em um Grand Prix norte-americano. Matheus e a equipe baseada em Charlotte disputam entre quinta-feira (2) e sábado (4) a segunda etapa do Arena Pro Swim Series, que ocorre em Indianápolis, no estado de Indiana, nos Estados Unidos. O atleta de 20 anos vai nadar em Indiana as provas que é especialista: os 50 e 100 metros livre e os 100 metros borboleta.

Matheus tem como principal objetivo na temporada fazer os índices necessários no Troféu Maria Lenk para disputar a principal competição do ano, o Mundial de Desportes Aquáticos, que ocorre em Budapeste, na Hungria em julho. A seletiva brasileira deverá ser em maio, no Paraná.

”É uma nova forma de trabalho que estou usando. O primeiro grande desafio será em Indiana e certamente quero nadar próximo dos meus tempos e, pensando num futuro próximo, conseguir melhorar minhas marcas nos 100 m livre. Depois, eu sigo para um training camp de duas semanas em San Diego com a minha equipe antes do retorno a Charlotte. Nesse novo ciclo olímpico, meu objetivo será treinar nos Estados Unidos! O grupo em Charlotte me acolheu super bem e espero representar a equipe dando meu máximo, estamos em período de treinos pesado focando a seletiva do mundial que acontece em maio”, disse Matheus Santana, que também defende a Universidade Santa Cecília nos eventos no Brasil.

Aproximadamente 500 nadadores irão competir na piscina da Indiana University Natatorium, entre eles muitos medalhistas olímpicos da Rio 2016, como Nathan Adrian, Cody Miller, Penny Oleksiak, Adam Peaty e Federica Pellegrini.

Saúde em dia

Campeão olímpico da juventude e quatro vezes recordista mundial de natação, o carioca Matheus Santana convive diariamente com o diabetes tipo I (quando a pessoa produz pouca ou nenhuma insulina), doença descoberta ainda aos 8 anos de idade. Mesmo longe do Brasil e da família, o atleta cuida do problema – que não o atrapalha nas piscinas – com cada vez mais disciplina e atenção.

A natação tornou-se uma importante aliada de Matheus no controle diário do diabetes. A realização de atividade física reduz os níveis de glicose e melhora a ação da insulina, e a natação melhora a vascularização, alem de auxiliar no retorno venoso durante o exercício. A necessidade de controlar a doença, por outro lado, ajudou Matheus a dar um “upgrade” na carreira dentro das piscinas.

Sobre Matheus

Matheus Santana tem 20 anos e já está no hall dos grandes nomes da natação brasileira e mundial. O nadador carioca tem resultados expressivos, que chamam a atenção na prova dos 100 m livre. O recorde mundial júnior – 48s25 – e as três medalhas na Olimpíada da Juventude, incluindo a de ouro na distância, são suas marcas importantes. Em 2015, o nadador conquistou ouro no Pan de Toronto no revezamento 4×100 m livre e o quarto lugar na mesma prova no Mundial de Kazan. O atleta foi integrante do revezamento 4×100 m livre nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e atualmente defende o time Elite SwimMac, em Charlotte, na Carolina do Norte, além da Universidade Santa Cecília – Unisanta.

Mais informações no site www.matheussantanaoficial.com.br